Plano macabro de Fernandinho Beira-Mar é descoberto e deixa até polícia chocada


Um dos maiores bandidos de todos os tempos no Brasil é Luiz Fernando da Costa, o Fernando Beira Mar. Ele ficou conhecido por sua atuação em favelas cariocas. No entanto, hoje, Beira-Mar está em um presídio da cidade de Porto Velho, no estado de Rondônia.

Ele divide lá o espaço com comparsas bizarros e dá ordens para advogados, envolvendo a visita de parentes, por exemplo. No entanto, aos poucos, a polícia mesmo ficou chocada com o modo como Fernandinho agia.

Beira-Mar agradava o povo para dominar o tráfico de drogas em favela do Rio de Janeiro

O criminoso estava fazendo lavagem de dinheiro em obras na favela Parque das Missões, que fica em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

Foi no município de Duque de Caxias que Beira-Mar fez o seu berço e de onde, mais tarde, ficaria conhecido para todo o mundo, até ser preso. Em uma dos bilhetes que envolve o bandido, um e-mail para o filho dele, identificado como Luan, foi encontrado.

e-mail fala de gastos com uma obra na região. Mais de R$ 26,5 mil foram gastos apenas com materiais de construção. Os valores no recado tinham a expressão “obras da MS”, que, segundo a polícia, significaria as siglas da favela.

 

Beira-Mar faz lavagem de dinheiro em obra da favela para dar moral ao tráfico local

O traficante é um dos maiores nomes do #Crime no Brasil. As obras custeadas por ele acontecem para dar moral na favela ao bandido. O fornecimento de materiais na região é muito grande e isso faz com que muita gente fique ciente de que tudo o que rola por ali não é a melhor escolha.

Empresários, inclusive, cederiam seus nomes para conseguirem agir na comunidade. Além do tráfico, os serviços da favela são todos comandados pela quadrilha de Beira-Mar.

 

Beira-Mar gasta R$ 150 mil por mês, mesmo estando dentro de presídio

O caso foi explanado pelo jornal carioca Extra. Em um dos bilhetes, Fernandinho garante que gasta todos os meses cerca de R$ 150 mil. Os gastos acontecem das mais diversas maneiras. Esse dinheiro, no entanto, estaria menor nos últimos tempos e Beira-Mar chega a reclamar nas conversas que recebeu 83 visitas e que agora está sem dinheiro para trazer os seus parentes.

Apenas com as visitas ao presídio, o bandido gastaria mais de R$ 20 mil todos os meses. Em outro bilhete, o chefão determina a divisão dos lucros com a venda de cada carga de cocaína. As transcrições dos bilhetes fazem parte do processo contra Beira-Mar originado pela Operação Epístolas. Ele agora pode ter sua pena aumentada.

Fonte: É Manchete!

 





log in

reset password

Back to
log in